9 de dezembro de 2013

Recuerdo...

Saudade é palavra doce, que amarga a boca. Equação de um frágil equilíbrio entre o desejo do sonho do que foi, e a crua realidade das tuas palavras e egoísmo.



29 de maio de 2012

Slipknot - Snuff

Enterra todos os teus segredos na minha pele,
Desaparece com inocência e deixa-me com os meus pecados.
O ar ao meu redor ainda parece uma gaiola
E amor é apenas uma camuflagem, para o que parece ser novamente raiva..

 Então se me amas, deixa-me partir
E  foge antes que eu saiba.
O meu coração está demasiado escurecido para me preocupar
Não posso destruir o que não existe.
Entrega-me ao meu Destino
Se eu estiver só, não posso odiar!
Eu não te mereço ter...
uh, meu sorriso foi levado a muito,
Se eu posso mudar, espero nunca o saber!
 
Eu ainda pressiono as tuas cartas de encontro aos meus lábios,
E estimo-as em partes de mim que saboreiam cada beijo.
Eu não poderia enfrentar uma Vida sem a tua Luz
mas tudo isso foi rasgado... quando te recusaste lutar.

Então poupa o teu fôlego, eu não vou ouvir,
acho que deixei isso muito claro.
Tu não conseguias odiar o suficiente para amar
seria isso supostamente o suficiente?
Apenas desejava que não fosses minha amiga,
então assim poderia te magoar no fim.
Eu nunca aleguei  ser um santo...
uh, o meu Eu há muito que foi banido
A Esperança precisou morrer para deixar-te ir.

Então despedaça-te contra as minhas pedras
e cospe a tua pena na minha Alma.
Tu nunca precisaste de ajuda alguma,
Vendeste-me só para te salvares.
E eu não vou ouvir a tua vergonha
Tu fugiste - São todas iguais.
Anjos mentem para poder manter o controle...
Uh, o meu amor foi punido há muito!

Se tu ainda te importas, nunca me deixes saber
Se tu ainda te importas, nunca me deixes saber...



8 de agosto de 2011

"Quer saber quais as coisas que você ama?

Acredito profundamente na máxima que diz: “Quem ama cuida”, e percebo que tal ditado se estabelece como critério avaliativo para pesarmos nossos relacionamentos.Quer saber quais as coisas que você ama? É só verificar atentamente as coisas das quais você cuida, pois a gente só percebe que ama depois que descobre que cuida.


Você ama sua família? Seus amigos? Sua esposa (o)? Você cuida destes? Quanto tempo você gasta com eles? Ou seu amor é apenas um vago sentimento que não muda em nada a vida dos que lhe são caros… Amor implica atitude, não existe amor estático, só de palavras; quem ama incomoda.


Amar é buscar o outro, é preocupar-se com ele, é gastar tempo com a pessoa e por causa da pessoa. Amar é ter a coragem de se expor pelo outro. Não acredito naqueles que dizem nos amar, mas não fazem nada para que nossa vida se torne melhor. Quem ama dá um jeito, arranja tempo, liga, se envolve; enfim, se faz presença.


Não se constroem grandes relacionamentos por meio de cursos de correspondência. Para que os laços se aprofundem é preciso gastar tempo ao lado do outro. Deus nos livre de relacionamentos superficiais, nos quais o que impera é a representatividade e o cuidado é ausente… Amor sem cuidado é arte sem encanto, é corpo sem alma, é abstração.


E mais: será que nós nos amamos? Será que cuidamos de nós, de nosso visual, de nosso coração? Será que investimos em nós? É impossível cuidarmos de alguém se não aprendemos a nos cuidar. E também, por vezes, teremos que aprender a nos deixar cuidar pelos outros, pois, do contrário, correremos o risco de morrer isolados em nossa própria resistência.


O que você ama? Do que você cuida ou precisa cuidar?
Ainda dá tempo, sempre dá…
Deixo-o com o santo poder que traz em si questionamento… ou melhor: ? (a interrogação)."


in http://mcconsultoria.blogspot.com/

9 de maio de 2011

Desespero entre o querer ser e o não conseguir ser, Ser


Tenho uma doença. Um "Cancro" que me vai desbastando até aos ossos.

É uma doença, que me entorpece a mente, que me faz fechar em mim próprio.
Dias tenho, em que o simples movimento, um passo, andar, é doloroso,  forçando-me a cair de joelhos.
Outros tenho, em que o simples acto de respirar, se torna um processo impossível. Que cada inspiração faz arder os pulmões, e a cada expiração me vou esvaziando, perdendo-me sempre mais

Tenho alturas em que sinto o corpo chegar ao limiar, um lento tilintar de cada órgão, como se me fosse desligar, afundar-me, mas que ao mesmo tempo, existe um choque, conflito para ligar o sistema, para manter o corpo à tona da água.

Sinto refúgio na solidão
Sinto conforto, nesta vida redutora.

Tenho uma doença. Um "Cancro" que dia-a-dia, me vai sugando cada vez mais.

Dias existem em que apenas me quero entrincheirar no isolamento de uma cama, fechar os olhos e deixar o tempo passar, mas, tenta-se arranjar uma réstia de força, um desgaste diário que me "obrigar" a levantar, colocar uma máscara, um sorriso, de forma a esconder todo o vazio que sinto ter.
É o querer me proteger daqueles que me rodeiam, porque não quero que percebam, não quero que se "preocupem", não me quero sentir sem propósito,  sem orientação, sem definição.

Sem planos, sem destino.
Sem sabor.

Tenho uma doença. Um "Cancro", que me torna num desassossego

Tenho dias em que me desgasto, em constantes lutas comigo próprio, entre o pedir ou não ajuda, em que me sinto bloqueado pela humilhação, pela vergonha. Outros tenho, em que ganhei alguma coragem, confiança, falei e disse que precisava de ajuda, apenas para esbater em indiferença, desconforto e criticas.
Perdi a confiança,.
Perdi a pouca capacidade de me exprimir, de dizer o que sinto

Sinto-me um zero.
Um inutilidade
Miserável

11 de março de 2011

... to where?

http://www.youtube.com/watch?v=Rxc1t6XsWSo&feature=relate

9 de março de 2011

From despair....

http://www.youtube.com/watch?v=1OfsZyYPLoI

2 de agosto de 2010

Lição de Vida

http://www.youtube.com/watch?v=dRTqFjflgto

Porque as vezes nos esquecemos de viver a Vida...